CHESS TATOO

CHESS TATOO

HOMENAGEM DA ADVOCACIA PAULISTA AO ÁRBITRO CASSIUS ALEXANDRE !!!

14/12/2015


HOMENAGEM DA CAASP PELAS XII EDIÇÕES DO TORNEIO DE XADREZ DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL !! AGRADEÇO ESPECIALMENTE AO PRESIDENTE DR. Fábio Romeu Canton Filho, AO DR. CÉLIO , AO Daniel Turri , A Luana , AO Alessandro e ao Sidney ( in memorian) e toda a equipe por todos esses anos juntos. Depois de mais de 20 anos trabalhando com o xadrez, um Mundial nas costas , um Continental, um Pan Americano, a melhor Final de Campeonato Brasileiro e centenas de torneios de xadrez nacionais e internacionais , essa foi uma das homenagens que mais guardarei no coração, fico muito honrado em ter feito parte dessa História. Inclusive com duas lendas do xadrez entregando troféus aos advogados em uma das edições, Henrique Mecking e Julio Granda











MANIFESTO PELA DEMOCRACIA !!!

03/12/2015

Trazemos ao conhecimento de todos os enxadristas do Estado do Pará uma grave denúncia contra o presidente da Federação de Xadrez do Pará, o senhor Paulo Cohen.
O presidente Paulo Cohen foi elevado à presidência da Fexpa na sequência do processo de impeachment que sofreu o ex-presidente Clauber Figueiredo Martins.
Na época do processo de impeachment, Clauber Martins havia enlameado o nome da Fexpa, utilizando-se do cargo de presidente para aplicar vários golpes de estelionato, utilizando a entidade como moeda de troca, e praticando a gestão temerária da entidade, deixando a Federação com várias pendências perante órgão públicos e perante a Confederação Brasileira de Xadrez.
Uma das principais pendências disse respeito ao pagamento de prêmios da semifinal do campeonato brasileiro de xadrez realizada em Belém no ano de 2013. O ex-presidente não pagou os prêmios para vários atletas vencedores e a CBX teve de arcar com o pagamento, sendo que, até hoje, a Fexpa tem essa dívida em aberto com a CBX.
Por essa e outras foi movido pelos próprios atletas o processo de impeachment que culminou na renúncia de Clauber Martins ao cargo de Presidente, assumindo, então, o Senhor Paulo Cohen.
Ocorre que o senhor Paulo Cohen, traindo a expectativa dos atletas, não fez como se esperava uma gestão livre da presença do ex-presidente. Pelo contrário, o ex-presidente continua controlando o site da entidade, continua manipulando o programa de arbitragem em vários torneios da federação, gerando, como de costume, os mais variados problemas, pois há muito tempo perdeu a credibilidade como árbitro também.
Isso tudo já era da desconfiança de todos os atletas. Porém o mais grave veio à tona agora.
No anexo segue exemplar do Diário Oficial do Estado de 04 de julho de 2014, quando já tinha havido o movimento de impeachment e quando o senhor Paulo Cohen já era presidente da Fexpa. Neste diário está a indicação feita pela Fexpa à Secretaria de Esportes do Estado do Pará do nome do próprio presidente, Paulo Cohen, e do nome do ex-presidente, Clauber Martins, para receberem a bolsa-talento.
Isso é um escárnio com todos os atletas que se empenharam pelo impeachment do ex-presidente e que confiaram que a administração do Paulo Cohen renovaria a Federação de Xadrez do Pará. Fica agora comprovado que o senhor Clauber Martins nunca deixou de deter total influência política dentro da Fexpa, não passando o senhor Paulo Cohen de um testa de ferro do ex-presidente.
Os senhores Paulo Cohen Farias e Clauber Figueiredo Martins, possuem gestão da Federação De Xadrez Do Pará e estão recebendo bolsa talento desde julho de 2014, conforme DOE em anexo, sendo o primeiro o atual presidente, e, o último, o presidente anterior.
Ocorre que ambos os gestores vêm informando aos atletas que o Estado do Pará teria deixado de repassar à FEXPA (Federação de Xadrez do Pará) a bolsa talento, o que obviamente não vem acontecendo, e ambos abusam de sua condição de gestores para receberem sozinhos um benefício social que deveria ser direcionado a jovens atletas promissores, sem recursos para investir no esporte. E mais, ambos são “cartolas” do xadrez, atuando como gestores nas últimas diretorias.
Estamos certos da retidão e lisura da SEEL em tais procedimentos, mormente no deferimento da bolsa talento e repasses de verbas públicas, confiamos que a secretaria de Esportes não tem conhecimento da maneira antidemocrática com que o atual presidente da Fexpa fez esta indicação, e confia que tais denúncias serão recebidas com a seriedade merecida.
O fato é grave e significa debochar de todos os atletas indicar quem sofreu o impeachment para receber verbas públicas em nome do nosso esporte, o xadrez. Porém, mas grave é a forma antidemocrática como feita a indicação.
Nem mesmo os diretores da Fexpa tem ciência desta indicação, simplesmente porque nunca houve uma reunião da diretoria da Federação. O senhor Paulo Cohen governa como um déspota e nem reuniões de diretoria ocorrem em sua gestão. Da mesma forma como o Sr. Paulo Cohen nunca realizou uma assembleia para prestação de contas das verbas que recebeu até agora em nome da Fexpa.
Não haver prestação de contas contraria o estatuto da Fexpa, contraria a Lei Pelé, contraria a lisura, a transparência, o espírito democrático e já seria motivo suficiente para um novo impeachment.
Por todos esses motivos estamos lançando este manifesto como uma forma de iniciarmos um movimento democrático pela construção de uma chapa de oposição ao Senhor Paulo Cohen e ao senhor Clauber Martins a fim de ganhar as próximas eleições da Federação de Xadrez do Pará.
Nossa proposta é a reunião de atletas para que possamos discutir um programa democrático, com a elaboração de propostas democráticas e, posteriormente, após concordarmos com as propostas que queremos para a Fexpa, organizarmos uma chapa para vencer as eleições.
Como pontapé inicial convocamos uma reunião para lançarmos o nosso movimento no dia 09 de dezembro de 2015, às 19:00 h., na sede do Clube de xadrez da Cidade Velha.
Como propostas iniciais do nosso movimento, lançamos as seguintes plataformas:
1) transparência absoluta de todos os atos da Fexpa, com prestação de contas periódicas perante a assembleia geral e publicação da prestação de contas na internet.
2) efetivas reuniões da diretoria da Fexpa para tomada de decisões, (como a indicação de atletas para receber bolsas, passagens e outras verbas públicas, por exemplo) desconcentrando o poder das mãos do presidente; assembleias gerais para tomadas de decisões mais importantes da Fexpa.
3) regularização de todas pendências da Fexpa, providenciando-se ações perante o poder judiciário para responsabilização civil e criminal, se for o caso, de todos os maus administradores que causaram prejuízos materiais, financeiros e morais à Federação de Xadrez do Pará. Por exemplo, é o senhor Clauber Martins que deve pagar a dívida com a CBX e não a Federação.
4) Protocolização imediata de pedido de informações à SEEL acerca das verbas recebidas pela Fexpa durante a gestão do senhor Paulo Cohen, com base na lei de acesso as informações (lei nº LEI Nº 12.527, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011)
Flávio Sánchez Leão curtiu isso.
Comments
Cassius Alexandre Não é só na Federação do Pará que temos esses problemas Dr Leão , isso acontece desde os pequenos clubes e ligas até chegar em federações e confederações em quase todas as modalidades desportivas , Dirigentes pensam que são donos das entidades e não respeitam as leis e o caráter verdadeiramente social e democrático precisamos acabar com essa prática neste país !! Flávio Sánchez Leão
CurtirResponder1Agora mesmo